Teatro de fantoches com painel sonoro: um estímulo à expressão

Professores enriquecem as possibilidades de comunicação de estudantes ao criar material pedagógico acessível para contação de histórias

Em 2018, a turma do 4º ano C da EMEF Carlos Francisco Gaspar, no município de São Paulo (SP), tinha alunos muito participativos. Alguns apresentavam dificuldades, mas todos eram muito prestativos e se ajudavam. Dois estudantes da turma têm deficiência: Letycia e Thiago. Ela tem uma deficiência que limita seus movimentos e comunicação. Apesar de não se expressar verbalmente, reage a estímulos visuais e sonoros com sorrisos, por exemplo. Thiago possui deficiência intelectual e é muito criativo.

Desenvolvimento do material

Considerando as características da turma e as especificidades dos dois estudantes com deficiência, decidimos construir um material pedagógico acessível (MPA) que enriquecesse as formas de comunicação do grupo. As atividades pensadas com o uso do material poderiam propiciar maior participação da Letycia e do Thiago, sendo significativa para todos os estudantes.

Para promover a participação e ampliar as formas de comunicação de cada um dos alunos nas atividades propostas, consideramos o desenho universal para a aprendizagem e construímos o Teatro de fantoches com painel sonoro. A intenção era favorecer a oralidade e a construção de diferentes narrativas, contemplando a diversidade e o respeito às diferenças.

+ Aprenda a fazer o Teatro de fantoches

Alinhamento ao currículo

Nosso projeto se articulava com o Currículo da Cidade de São Paulo ao trabalhar protagonismo infantil, resgate da autoestima e garantia de acesso e permanência na escola, visando maior apropriação dos conteúdos propostos. Durante as aulas com o MPA, envolvemos as disciplinas de Língua Portuguesa, História e Ciências.

+ Veja como o Teatro dos fantoches se articula com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

O Plano de aula desenvolvido era composto por:

  1. Apresentação da obra Menina bonita do laço de fita, da Ana Maria Machado;
  2. Exploração dos recursos gráficos;
  3. Problematização da temática;
  4. Leitura da obra;
  5. Proposta de reescrita;
  6. Apresentação do trabalho autoral e reconto pelos alunos com a utilização do Teatro de fantoches com painel sonoro;
  7. Encerramento e avaliação da aula.

O MPA na escola: novos caminhos pedagógicos

O grupo ficou muito envolvido com o MPA, estimulado pelos sons emitidos pelo painel durante a contação de histórias. Houve muito interesse por parte dos alunos, pois é um recurso inovador, que contempla meios diversos para expressão, favorecendo a participação de todos.

O material inspirou também novos caminhos pedagógicos, como a criação coletiva de um programa de rádio, em que os alunos escreveram o roteiro e planejaram músicas, entrevistas e até a participação de ouvintes. O painel ajudou a produzir os efeitos sonoros durante a apresentação do programa.

O Teatro de fantoches com painel sonoro se tornou um material de toda a escola e pode ser utilizado pelos professores de outras salas e pela comunidade escolar, como ocorreu durante o Halloween, aumentando o mistério e o “terror” da festa.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: