Município de Cruzeiro elabora estratégias para garantir aprendizado durante pandemia

Secretaria Municipal de Educação tem intensificado ações com redes de apoio, diálogo com as famílias e trabalho colaborativo

Para o enfrentamento da suspensão das aulas presenciais, a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) de Cruzeiro (SP) estabeleceu critérios de organização de estratégias para garantir o aprendizado de todas e todos.

Sentada em sofá de casa, criança assiste, em celular apoiado em suas mãos, a aula. Fim da descrição.
Criança da rede de Cruzeiro acompanha aula remota. Foto: Arquivo pessoal

Estudos remotos com apoio dos familiares

A SEMEC adotou como estratégia pedagógica a orientação remota para os estudos com base no sistema didático da rede e elaborou roteiros com orientações simples, focadas em habilidades. O objetivo é possibilitar que qualquer familiar auxilie as crianças e jovens em suas atividades.

Post da SEMEC de Cruzeiro no Facebook. O card traz ilustrações de navegação na internet, o logo da secretaria e os dizeres "Atividades oitava semana". A descrição do post é aseguinte: "ATIVIDADES PEDAGÓGICAS - 8a. SEMANA
Nesse período de suspensão das aulas presenciais, pensando em manter a atividade de estudos de nossos alunos, elaboramos orientações didáticas simples e objetivas para serem realizadas em casa.
As atividades também serão encaminhadas via WhatsApp, nos grupos de pais da Escola onde seu(sua) filho(a) está matriculado(a). Para recebê-las, mantenha seu cadastro atualizado junto à escola!
Abaixo, seguem os links para acesso, cada ano tem duas opções de download, escolha a que for mais conveniente. Caso tenha dificuldades em entender o material, assista o vídeo informativo neste link: https://www.facebook.com/smecrz/videos/229450661654269/"
SEMEC tem divulgado as atividades remotas nas redes sociais.

Semanalmente os planos de ensino remoto são postados nos canais oficiais e de redes sociais da SEMEC e encaminhados às famílias também por meio dos grupos de WhatsApp das escolas.

A estratégia teve como finalidade a garantia do acesso aos conteúdos por todos os estudantes, independentemente das condições de acesso à internet, conforme explica o secretário da SEMEC de Cruzeiro, Mário Costa.

As atividades contam com orientações e reflexões que devem ser sempre registradas, para que, no retorno das aulas presenciais, os trabalhos possam ser retomados pelos professores nas classes.

As diretrizes consideraram a diversidade de perfis e, por conta disso, nós optamos por não utilizar nenhuma plataforma educacional, nenhum sistema de aulas online focadas em conteúdos ou qualquer outro fator que fosse limitador de acesso.

Após sinalizar à escola a dificuldade de comparecimento, as famílias recebem o material em casa, como acontece com estudantes de área rural.

Saiba mais
+ Webinário divulga pesquisa sobre protocolos referentes à educação inclusiva durante a pandemia
+ Conheça série de webinários sobre a educação inclusiva durante a pandemia

As atividades não estão condicionadas à nenhuma plataforma que dependa de internet, salvo redes sociais e WhatsApp, mas nos casos em que os alunos não têm nenhum acesso à internet, inclusive ao celular, eles podem retirar as atividades impressas na escola, ou em plantões realizados diariamente.

Fortalecimento do diálogo com as famílias

Em cozinha, sentada em mesa, mulher segura criança em seu colo. Ela apoia em sua mãe um aparelho celular, que é observado pela criança. Fim da descrição.

A relação com as famílias tem se intensificado durante o período de isolamento social. A ideia é que os educadores possam identificar a realidade de cada estudante. Para isso, as escolas têm mantido um contato regular, seja por grupo de WhatsApp ou redes sociais, e também em plantões diários, que ocorrem nas unidades de ensino.

Mário Costa esclarece que a intenção é compreender como os educadores podem auxiliar as famílias da melhor maneira possível:

O nosso foco é de ficar bem próximo, ouvindo as famílias e percebendo suas necessidades para atender de um modo pronto e efetivo. Ainda há barreiras a serem superadas em muitos aspectos, mas nossas portas e janelas estão abertas.

AEE e o trabalho colaborativo

Além do fortalecimento do diálogo com as famílias, a SEMEC também orientou a participação ativa dos professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE) na elaboração das atividades de estudo remoto, trabalhando colaborativamente com os docentes da sala comum.

Leila Motta, professora de AEE em mais de cinco escolas municipais de Cruzeiro, explica que os professores do serviço de atendimento especializado ajudam os educadores da sala comum com adaptações nas atividades de cada aluno, de acordo com a necessidade. Ela vê o contato com as famílias e o trabalho colaborativo como essenciais para a garantia de aprendizagem a todas e todos.

O estudante não é um ser vazio, ele tem sua história de vida, e quem pode me dizer sobre isso é o próprio aluno, a sua família e o professor da sala comum. Ao conhecer as suas singularidades e a dificuldade que enfrenta, conseguimos eliminar barreiras e garantir sua aprendizagem.

Redes de apoio

Além da parte pedagógica, a SEMEC de Cruzeiro tem realizado parcerias com redes de apoio para a eliminação de quaisquer barreiras ao aprendizado dos estudantes. Uma das ações é entrega mensal de kits de merenda a todos os estudantes, independentemente da condição social.

A secretaria também possibilita a oferta de transporte escolar a alguns estudantes que possuem atendimento terapêutico e de necessidade contínua, além de viabilizar convênios e parcerias com redes de apoio.

Leia mais
+ SME de São Paulo busca assegurar aprendizado a todos durante a quarentena
+ Ações de secretaria municipal apoiam estudantes e familiares

A SEMEC, por meio do Núcleo de Apoio à Saude da Comunidade Escolar (NASCE), também está elaborando um processo de atendimento que será realizado com as famílias e estudantes, para promover a integração, minimizar prejuízos eventuais em relação à aprendizagem e dar suporte em relação a questões socioemocionais.

Para a responsável pelo NASCE, Andréa Duque, o período de isolamento social exige um trabalho de atendimento para a valorização de toda a comunidade escolar. O Núcleo elaborou um questionário para as escolas para entender a realidade de cada unidade e identificar as necessidades deste momento.

Estamos fazendo reuniões com todos os coordenadores para ter um olhar de cuidado. O NASCE está à disposição para orientar sobre o que for preciso e escutar toda a comunidade escolar.

Possibilidades de futuro

Embora a suspensão das aulas presenciais traga inúmeras incertezas aos educadores, Mário Costa entende que o período também possibilita reflexões acerca da garantia de uma educação para todas e todos.

Para ele, o processo é positivo à medida que traz questionamentos sobre o que de fato a educação municipal tem feito pelos estudantes e qual o nível de empoderamento social que a formação tem dados a eles.

Nunca foi tão evidente no nosso entendimento o poder que a educação possui. O nosso maior desafio é o de superarmos essas barreiras individuais e nos parece evidente a urgência de repensar uma educação para todos e, de fato, e não somente de título.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: