Ações de secretaria municipal apoiam estudantes e familiares

Daniela Harumi, diretora da Coordenação Pedagógica da SME de São Paulo, explica movimentos da rede para eliminar barreiras durante a quarentena

Por conta da necessidade de isolamento social para evitar a disseminação da Covid-19, as aulas presenciais foram suspensas e a Secretaria Municipal de Educação (SME) de São Paulo vem planejando ações para apoiar estudantes e familiares e assegurar o acesso à educação a todas e todos durante o período.

Em sala de aula, carteiras de estudantes vazias. Ao fundo, lousa verde. Fim da descrição.
Secretaria adota ações para apoiar estudantes e familiares. Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Dentre as medidas adotadas, está o acolhimento das famílias e dos estudantes por parte dos professores de Atendimento Educacional Especializado (AEE). Para aqueles em situação de vulnerabilidade social, as equipes do Núcleo de Apoio e Acompanhamento para a Aprendizagem (NAAPA) têm buscado promover o acolhimento das famílias e realizar os encaminhamentos necessários, atendendo por diferentes meios de comunicação, como telefone, mídias sociais e chat.

Para isso, o NAAPA criou um site que possibilita aos estudantes e familiares interagir com uma personagem virtual, a Obi (coração, em dialeto africano). A personagem propõe atividades e dicas de como aproveitar melhor o tempo, além de se disponibilizar a entender em qualquer dia ou horário. Ainda é possível estabelecer contato com especialistas do NAAPA para conversar sobre angústias e necessidades vivenciadas no período de isolamento social.

Saiba mais
+ SME de SP orienta trabalho colaborativo e escuta para o AEE
+ SME de São Paulo busca assegurar aprendizado a todos durante a quarentena 
DIVERSA promove webinários sobre educação inclusiva na pandemia 

Daniela Harumi, diretora da Coordenação Pedagógica (COPED) da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, explica essas e outras ações elaboradas para a eliminação de barreiras ao aprendizado durante o período da quarentena. Confira a entrevista na íntegra:

DIVERSA – Quais são as estratégias estabelecidas pela SME para as atividades educacionais durante o período de isolamento social, levando em conta a Instrução Normativa número 15, de 9 de abril? Qual a acessibilidade da proposta pedagógica?

Daniela – A Secretaria Municipal de Educação, como forma de garantir o acesso a todos os estudantes, produziu um material impresso, intitulado Trilhas de Aprendizagens, destinado a todos os estudantes da rede, desde a educação infantil até a educação de jovens e adultos (EJA), que chegou à casa dos estudantes pelos Correios. Em complementação ao material impresso, os professores estabelecem contato virtual com os estudantes pela plataforma Google Classroom, onde podem ser postadas atividades e orientações para a utilização do material impresso.

Os Professores de Atendimento Educacional Especializado (PAEE) estão atuando junto com os professores das turmas, dando o apoio para oferecer as acessibilidades necessárias aos estudantes atendidos pela sala de recursos multifuncionais. Além disso, estão estabelecendo o contato direto com as famílias para verificar a existência de necessidades específicas e realizar os devidos encaminhamentos.

DIVERSA – De acordo com a Instrução normativa número 15 de 2020, cada unidade educacional deverá elaborar seu Plano para a continuidade das atividades escolares, priorizando as metas curriculares e definindo os objetivos a serem alcançados a cada semana, em consonância com o projeto político-pedagógico. Como as unidades estão se organizando para a elaboração do Plano? Qual o suporte dado pela SME?

Ao final do recesso escolar (de 23/03 a 09/04), as equipes da unidade educacional tiveram três dias para reorganização de seus planejamentos, considerando as necessidades atuais em virtude da pandemia. Durante esse período, realizaram reuniões virtuais para replanejar e se apropriar da plataforma Google Classroom. Além disso, as unidades apresentam horários de formação coletiva que, neste momento, são destinadas às discussões acerca do (re)planejamento das ações e da troca de experiências com a utilização do ambiente virtual.

DIVERSA – Quais são as ações da SME para garantir o acesso ao aprendizado aos estudantes com deficiência ou em vulnerabilidade durante o período de isolamento?

A SME tem realizado um trabalho contínuo com as equipes dos CEFAI nas Diretorias Regionais de Educação (DRE). Além do contato com as famílias dos estudantes com deficiências, os professores do Atendimento Educacional Especializado neste momento estão auxiliando os professores da classe comum no planejamento das atividades, orientando quanto à utilização de recursos pedagógicos acessíveis aos estudantes com deficiência.

Importante destacar que está sendo garantida a continuidade do AEE nesse período de distanciamento como também o acolhimento e orientação aos familiares e responsáveis dos estudantes.

DIVERSA – Está sendo realizada alguma ação de composição de rede com a saúde, assistência social, considerando o público-alvo da educação especial e os estudantes em situação de vulnerabilidade social?

Nas Diretorias Regionais de Educação temos duas equipes, o CEFAI (Centro de Formação e Acompanhamento à Inclusão) e o NAAPA (Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem). A equipe do CEFAI atua diretamente com os PAEE, na formação e acompanhamento das ações. Já o NAAPA atua com os estudantes em situação de vulnerabilidade.

No momento atual, as equipes têm buscado promover o acolhimento deste público e realizar os encaminhamentos necessários, atendendo famílias e estudantes por diferentes meios de comunicação, como telefone, mídias sociais e chat. Os territórios estabelecem parcerias com os equipamentos de saúde e assistência social, buscando o melhor atendimento para os estudantes.

O NAAPA, em parceria com o Instituto Liberta, produziu um site (https://www.naapa.com.br/) voltado às famílias e aos jovens de nossa rede. Além de textos informativos aos jovens e suas famílias, há um chat em que o jovem pode conversar com uma personagem, a Obi (coração, em dialeto africano). Ao final, se desejar, pode estabelecer contato com uma especialista do NAAPA para conversar sobre suas angústias e necessidades. E, então, a especialista realizará os encaminhamentos que se fizerem necessários.

DIVERSA – Em relação à educação infantil, quais são as orientações para as redes de ensino?

Na educação infantil, da rede municipal de educação, também há material impresso: o Trilhas de Aprendizagens 0 a 3 anos e Trilhas de Aprendizagens 4 e 5 anos. Esses materiais apresentam sugestões e orientações para as famílias realizarem atividades com os bebês e as crianças. Além disso, as unidades educacionais utilizam suas páginas em redes sociais e também têm acesso ao Google Classroom para estabelecer contato com as famílias dos bebês e crianças pequenas e realizar as orientações que forem necessárias.

DIVERSA – Como os professores estão sendo orientados a elaborar as aulas? Em relação aos softwares e aplicativos usados para as aulas, os educadores estão recebem formação para utilizá-los?

Sempre orientamos que sejam realizados planejamentos coletivos entre os professores da escola, de modo a integrar e relacionar os diferentes componentes curriculares e considerar o desenvolvimento e as aprendizagens necessárias aos estudantes de determinada idade e ano escolar. Durante esse período de isolamento social, todos os professores e estudantes tiveram suas contas Google educacional criadas, para a utilização, principalmente, da ferramenta Google Classroom (sala de aula).

Para a utilização dessa ferramenta, realizamos diversas transmissões ao vivo, com a equipe do Google for Education EdTech, instituição que realizou a doação dessas contas educacionais. A primeira formação ocorreu em 14 de abril, em dois horários, com a apresentação das funcionalidades dessa ferramenta.

Na sequência, tivemos uma outra formação destinada especialmente às equipes gestoras das escolas, em que foram apresentadas as possibilidades de realização do acompanhamento dos professores. Esta semana, realizaremos uma ação específica ao público da educação infantil, pois entendemos que há especificidades de utilização desta ferramenta, que são diferentes das demais etapas e modalidades de ensino.

DIVERSA – Em relação à logística, quais são as ações tomadas para garantir que todos os estudantes recebam os cadernos Trilhas de aprendizagens?

Para garantir que todos os estudantes recebam seu material, organizamos um grande movimento de atualização cadastral no portal da SME, com o objetivo de evitar que o material fosse enviado a um endereço desatualizado. No entanto, aquelas famílias que não realizaram a atualização de endereço, tiveram os materiais enviados ao endereço cadastrado em nosso sistema EOL. A entrega dos materiais ocorreu por meio da contratação dos Correios.

DIVERSA – Em relação ao acesso à internet, quais são as ações pensadas para viabilizar o ensino aos estudantes que não possuem rede de telefonia em suas casas?

Temos ciência de que uma parte de nossos estudantes não tem acesso à internet e/ou equipamentos, como computador, tablet, smartphone. Por isso, o foco principal da SME é a utilização do material Trilhas de Aprendizagens, impresso e entregue nas residências dos estudantes. A utilização do Google Classroom é complementar ao material impresso.

DIVERSA – Qual o impacto da pandemia na organização do trabalho da educação para todos, pensando no retorno das aulas presenciais?

A pandemia impactou a vida de todos nós, sem exceção. Nosso objetivo, neste momento, é não distanciar o estudante da aprendizagem. Por isso, nossos esforços em produzir material impresso em um tempo muito reduzido, além de trazer a complementação virtual por meio do Google Classroom.

Sabemos que os esforços serão maiores ainda, quando o retorno presencial acontecer, de modo seguro, pois teremos um desafio enorme que é o de acolher esses bebês, crianças, jovens e adultos, em isolamento social por um período longo, e que tiveram suas aprendizagens e desenvolvimento prejudicados.

Além do acolhimento e cuidado com questões de saúde mental, será necessário um grande movimento de acompanhamento e recuperação das aprendizagens, considerando que nem todos os estudantes tiveram acesso aos mesmos recursos durante esse período de isolamento.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: