Protagonismo da mulher na história de Roraima

Em projeto marcado pela autonomia, estudantes contam a história de mais de 40 mulheres do estado  

Sou professora de história na Escola Estadual Presidente Tancredo Neves, situada na cidade de Boa Vista, capital de Roraima. Em 2018, desenvolvi com estudantes do ensino médio um projeto para contar a trajetória de mulheres importantes que estão construindo a história de Roraima.   

Como resultado do trabalho, os estudantes desenvolveram sites e documentários para compartilhar as histórias de mais de 41 mulheres de Roraima, criando um acervo para retratar a memória do estado.

A professora Rutemara senta com duas alunas e com a Tenente Coronel PM Valdeane Alves em mesa redonda. As três se olham e sorriem. Fim da descrição.
Professora Rutemara Florêncio, com alunas Keroline Pinheiro Viana e Sabrina Roque Moraes, entrevistando a Tenente Coronel PM Valdeane Alves, em Boa Vista, Roraima. Créditos: Márcio Lavor/Nova Escola

Como idealizei o projeto

O projeto começou a ser idealizado em 2017, quando trabalhei com estudantes do 2º ano do ensino médio a temática da mulher como vítima da violência em um projeto interdisciplinar. Em 2018, contudo, mudei a perspectiva de abordagem buscando valorizar mulher que conquista espaço, ocupa posições de liderança e constrói a história do estado com suas ações e por meio do seu trabalho. 

Inicialmente, meu desejo era proporcionar aos estudantes a oportunidade de enxergar as mulheres como protagonistas na construção da história (de Roraima, do Brasil e do mundo) e, com isso, compreender e valorizar os papéis desempenhados por elas ao longo do processo histórico e não apenas como vítimas da violência cotidiana que estampa o noticiário. 

Outra questão importante para o projeto foi o combate ao estado de invisibilidade que as mulheres enfrentam na abordagem didático-pedagógica da educação básica. Quando pegamos um livro didático, raramente encontramos referências sobre a participação da mulher nos fatos históricos. A falta de materiais que apresentem a mulher como agente de transformação social, econômica e cultural em pé de igualdade com os homens impede que os professores abordem o protagonismo feminino em sala de aula. 

Mulheres de Roraima

Com tais preocupações, o objetivo do projeto era estudar especialmente a história de Roraima a partir da ação de mulheres que ocupam os mais diversos cargos e funções na sociedade local, abordando a luta delas por direitos e o enfrentamento de preconceitos, assim como, em alguns casos, a superação de um histórico de violência e discriminação. 

Na galeria, imagens dos estudantes entrevistando mulheres importantes do estado de Roraima.
Foto 1: Alunos Renato e Rakkiney entrevistam a primeira mulher a ser juíza no estado de Roraima, Tania Vasconcelos. Também foi a primeira mulher a ser presidente do Tribunal de Justiça e do Tribunal Regional Eleitoral no estado.
Foto 2: Líder religiosa e ativista indígena, Irmã Florencia é entrevista por estudantes. 
Foto 3: Alunas Izadora Pimentel e Beatriz entrevistam Maria das Dores Pereira, presidente da Fundação Anjos de Luz, que presta assistência a pessoas com deficiência. 
Foto 4: Sara Patricia, advogada e militante pelos Direitos Humanos e das Mulheres, é entrevistada por estudantes. 

O trabalho foi realizado em quatro turmas do 3ª ano do ensino médio, envolvendo cerca de 90 estudantes. Ao final do projeto, eram 43 meninos e 46 meninas na faixa etária de 17 a 18 anos. Com o projeto, tínhamos os seguintes objetivos: 

• Relacionar os discursos das mulheres entrevistadas com os fatos históricos em Roraima, observando os conceitos históricos presentes nos relatos;

• Analisar a trajetória percorrida pelas mulheres na construção de suas carreiras e funções, assim como os papéis que exercem na vida doméstica, enfrentamento de preconceitos e/ou discriminações;

• Comparar os discursos das mulheres relacionando-os a lutas históricas pela obtenção de Direitos, assim como a mudanças e permanências nas representações do ser mulher;

• Analisar o contexto histórico local, observando a ocupação, pelas mulheres, de espaços de poder e liderança;

• Construir projeto de pesquisa de forma coletiva seguindo as diretrizes da metodologia científica de acordo com critérios estabelecidos pela Academia.

Na galeria, imagens dos estudantes entrevistando mulheres importantes do estado de Roraima.
Foto 1: Estudantes Thiago Henrique e Raquel entrevistam a representante da comunidade japonesa em Roraima, Chigusa Tsukuda, que nasceu no Japão antes da segunda guerra mundial e veio com a família para o Brasil. 
Foto 2: Alunas Letícia e Laura entrevistam a professora indígena e historiadora, Zineide Pereira.
Foto 3: Primeira mulher que chegou ao posto de coronel dos Bombeiros no Brasil, Vanisia Sousa Santos é entrevistada por estudantes.
Foto 4: Primeira mulher indígena formada médica na UFRRJosidene Marques é entrevistada pelos alunos Pedro e Karoline.

Como planejei as atividades

Quanto à metodologia, o projeto foi dividido de acordo com as seguintes etapas: 

1) Pesquisa diagnóstica: realizamos um estudo com todos os estudantes a respeito da história do estado de Roraima e da inserção da mulher na história em geralA intenção era entender o que cada aluna e aluno conhecia sobre o assunto. 

2) Abordagem de conteúdo: trabalhamos a história de Roraima, analisando fatos e personagens de acordo com fontes disponíveis na internet e em livros. 

3) Apresentação e desenvolvimento do projeto: mostrei aos estudantes o tema “Histórias das Mulheres em Roraima” e construímos coletivamente a estrutura do trabalho. Nessa etapa, expliquei os componentes da pesquisa científica, utilizando a análise de três textos do livro História das Mulheres no Brasil, de Mary Del Priore.  

Os estudantes e membros da comunidade escolar também sugeriram mulheres com histórias de vida e de ação profissional relevantes para a sociedade roraimense em qualquer área ou função para serem entrevistadas. 

4) Montagem do roteiro das entrevistas: contatamos as mulheres indicadas e desenvolvemos o roteiro das entrevistas, seguindo temas centrais, como escolha da profissão e ascensão na carreira ou função; figuras femininas que influenciaram a vida de cada uma; conciliação entre vida pessoal e vida profissional; questões relevantes da trajetória profissional, entre outros.  

5) Realização de entrevistas: os estudantes entrevistaram, em duplas, 41 mulheres do estado de Roraima. Acompanhei todas as entrevistas e avaliei os alunos de acordo com a postura apresentada durante a conversa. 

Para escrever as histórias, as duplas avaliaram os áudios das entrevistas, correlacionando os acontecimentos da vida da entrevistada com as mudanças sociais e com as características históricas de cada época. 

6) Entrega das histórias: na última etapa, os estudantes apresentaram as histórias escritasbem como realizaram a elaboração e criação de sites para divulgação dos resultados do projeto. Também realizamos a apresentação do trabalho para a sociedade roraimense. 

No Conselho Regional de Medicina de Roraima, mulheres entrevistadas e estudantes posam para foto em grupo sorridentes. Eles seguram nas mãos uma lembrança do trabalho realizado. Fim da descrição.
Evento final do trabalho com alunos, entrevistadas e professora. As mulheres receberam uma lembrança do trabalho das mãos dos alunos que as entrevistaram. Esse evento foi no dia 08 de março de 2019 no auditório do CRM/RR.

O protagonismo em sala de aula

Ao longo de todo o projeto, os estudantes utilizaram equipamentos de tecnologia, como celulares, tablets e computadores, para realizar as entrevistas e as edições de áudio e vídeo.  Além disso, aproveitaram a ferramenta de armazenamento do Google para promover a produção dos sites e o compartilhamento de documentos relativos ao trabalho.  

Eles foram protagonistas em todo o processo, desenvolvendo autonomia e trabalho colaborativo na construção das histórias e na criação dos documentários. Dessa forma, todos os estudantes participaram do processo de criação e divulgação dos resultados do trabalho, incluindo um aluno com cegueira que fez entrevistas e escreveu uma das histórias relatadas. 

Na avaliação escrita mostraram terem aprendido os conceitos trabalhados, contextualizando a história das entrevistadas com o que foi estudado em sala de aula sobre a história do estado. Com o projeto, os estudantes, sem dúvidas, atestaraa importância das mulheres na construção da história de Roraima e do Brasil.   


Rutemara Florencio é uma das 10 vencedoras do Prêmio Educador Nota 10 de 2019 com o projeto “Histórias das Mulheres em Roraima”. 

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: