O IRM utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos portais, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Escola estadual incentiva participação ativa com grêmio estudantil

Estudantes com e sem deficiência do ensino médio de escola paulista fazem parte do grupo, que visa representar interesses do corpo discente

A pandemia nos trouxe muitos medos e desafios na área da educação, mas também nos fez repensar nosso modo de ensinar: como não perder o vínculo com nossos alunos, principalmente com os que apresentam maior dificuldade com tecnologias?

Toda a equipe escolar da E.E. Professor Sebastião de Castro, localizada em Mogi das Cruzes (SP), precisava aprender a superar esse desafio para que a escola continuasse o trabalho de forma efetiva.

Temos 492 alunos matriculados no ensino médio e, na própria unidade, realizamos atendimento a estudantes com deficiência auditiva na sala de recursos. Também contamos com intérprete de Libras.

Mesmo diante da pandemia, percebemos que uma escola que se importa com todos os estudantes sempre está preocupada para que o desenvolvimento continue acontecendo. E, para apoiar nesse quesito, dentre diversas ações que acontecem durante o ano na escola, o Grêmio Estudantil é de fundamental importância para a equipe gestora, pois é o espaço onde se valoriza a voz das alunas, dos alunos e da comunidade escolar.

 

Leia também

+ Projeto revitaliza escola e aumenta índices de aprendizagem de estudantes
+ Jovens dão voz à comunidade em projeto de valorização do território

Grêmio estudantil na pandemia

A professora Fabiana Oliveira estava muito desanimada para realizar uma nova eleição do grupo gremista este ano na escola, pois vivenciou muitas dificuldades para manter o Grêmio atuante e participativo de forma on-line. Portanto, com a eleição de 2021, surgiu uma grande inquietação.

Fabiana foi apoiada pela coordenadora pedagógica Camila Fernandes, que, em conversas com a diretora Rita de Cássia, mencionou alunos que estavam presentes nas aulas remotas e a possibilidade de eles criarem a chapa gremista da escola. Nessa ocasião, um dos estudantes, que é público-alvo da educação especial, recebeu destaque por sua participação ativa nas aulas presenciais e remotas.

Com a esperança renovada, a professora Fabiana se comunicou com as demais professoras e com a coordenadora para que os alunos fossem motivados para a criação da chapa e novos membros fossem agregados ao Grêmio Estudantil. Dois estudantes com deficiência ficaram interessados em fazer parte da chapa.

Apoio da escola a uma comunidade inclusiva

A coordenadora Camila ressalta a importância da inclusão na escola e sempre destaca que a comunidade também deve ter essa visão, pois todas as pessoas, com e sem deficiência, são capazes de se desenvolver, apresentar boas ideias e realizar ações pertinentes à escola e à comunidade escolar.

Eu, Gislaine Kamer Bento, como professora de educação especial, nunca tive um aluno que fosse membro de um Grêmio Estudantil. Quando a coordenadora pedagógica me solicitou que eu fosse articuladora e incentivadora de um dos meus alunos, não pensei duas vezes.

Lucas dos Santos Pereira está cursando a 2ª série do ensino médio e é muito dedicado aos estudos, porém sua timidez era uma barreira que precisava ser vencida. O aluno tem perda auditiva e usa aparelho de amplificação sonora, o que o permite acompanhar muito bem as aulas e compreender a língua portuguesa.

Iniciei uma conversa com ele sobre o Grêmio e, durante os atendimentos, também exploramos o tema protagonismo juvenil. Lucas explicou que não conhecia o Grêmio Estudantil da escola e, após nossas conversas, ficou muito empolgado e se interessou em fazer parte do grupo.

Por meio das orientações apresentadas, ele mesmo entrou em contato com os colegas, se tornando também um incentivador da participação no Grêmio, e se sentiu seguro e motivado a criar uma chapa, com objetivos para melhorar sua escola, adquirir experiências e mais conhecimento.

A importância da participação de todos

A aluna Vitória Jaque, que cursa a 1ª série do ensino médio, foi uma das alunas que recebeu o convite de Lucas. Ele apresentou algumas propostas já elaboradas, explicou sobre a chapa gremista e deu dicas sobre os cargos disponíveis.

Ela levantou a importância de aceitar a pessoa do jeito que ela é e oferecer oportunidades iguais independentemente de gênero, idade ou qualquer característica.

Outro aluno que se destacou foi Nicolas Vitor de Moraes Ramos, também da 1ª série do ensino médio. Ele tem deficiências múltiplas (auditiva e intelectual) e faz uso de aparelho auditivo, apresentando uma boa comunicação em língua portuguesa.

Sua professora de apoio, Ive Daniele Guimarães Ramires, está sempre o estimulando a participar de todas as aulas e eventos que a escola proporciona. Sabendo da importância de o aluno estar envolvido com a turma mesmo a distância, ela se propôs a apresentar essa nova experiência: a participação de Nicolas no Grêmio seria de fundamental relevância para o desenvolvimento de suas habilidades, demonstrando engajamento e atitudes positivas como cidadão.

Foto do estudante Lucas Pereira, com legenda “Meu nome é Lucas Pereira, sou do 2º A. Sou coordenador geral do Grêmio Estudantil.” Em volta da foto, moldura azul e fundo com respingos coloridos de tinta. Na parte debaixo da imagem, à direita, texto “planejar o futuro”.
Foto: Gislaine Kamer Bento. Fonte: Arquivo pessoal.
Foto do estudante Nicolas Ramos, com legenda “Sou do Grêmio Estudantil Planejar o Futuro, da E.E. Sebastião de Castro.” Em volta da foto, moldura azul e fundo com respingos coloridos de tinta. Na parte debaixo da imagem, à direita, texto “planejar o futuro”.
Foto: Gislaine Kamer Bento. Fonte: Arquivo pessoal.
Foto da estudante Vitória Jaque, com legenda “Oi, gente. Sou Vitória Jaque, 1º B. Sou coordenadora de eventos.” Em volta da foto, moldura azul e fundo com respingos coloridos de tinta. Na parte debaixo da imagem, à direita, texto “planejar o futuro”.
Foto: Gislaine Kamer Bento. Fonte: Arquivo pessoal.

Acolhimento dos participantes

Para que as alunas e alunos se sentissem realmente parte do grupo, decidimos realizar uma aula sobre o Grêmio, apresentando situações com ilustrações e imagens pertinentes às atribuições do Grêmio Estudantil, além de sugestões de propostas da chapa. Isso permitiu trazer aos estudantes algo mais concreto, pois as aulas permaneciam remotas. Assim, formou-se a chapa “Planejar o Futuro”, incluindo mais quatro membros, com a organização e escolha de cada função.

À esquerda, captura de tela mostra aula por chamada de vídeo com educadoras e estudantes. À direita, tela de apresentação mostrando exemplo de jornal mural. Fim da descrição.
Foto: Gislaine Kamer Bento. Fonte: Arquivo pessoal.

Com muita força e persistência, os estudantes apresentam suas propostas realizando reuniões on-line e comunicação instantânea no grupo de WhatsApp.

Chapa Planejar o Futuro

O desafio seguinte foi a apresentação do Grêmio para os demais estudantes e docentes. Em conversas nos atendimentos com Lucas, pensamos em cada membro gravar um vídeo da sua própria casa.

O vídeo final foi exibido durante as aulas remotas e enviado aos grupos de WhatsApp de todas as turmas.

Os alunos também acompanharam uma sequência de lives apresentadas pelo Centro de Mídias São Paulo (CMSP) sobre Grêmio Estudantil, para terem mais conhecimento sobre as diversas formas de atuarem, como grupo, na escola.

Foi enfatizado o protagonismo juvenil, a construção de um ambiente acolhedor e colaborativo, a melhora do clima escolar, o incentivo à cultura de paz, a promoção de valores, o fortalecimento dos valores democráticos e do espirito de cidadania, entre outros.

Os estudantes se sentiram motivados a criar outras chapas e propostas e, no mês de maio, foi realizada uma votação por meio de formulário, para decidir qual chapa seria a responsável pelo Grêmio deste ano.

A chapa “Planejar o Futuro”, dos estudantes Lucas, Vitória e Nicolas, venceu a votação e iniciou suas ações, começando pela preocupação com a baixa participação dos alunos nas aulas remotas.

A escola apresenta uma estratégia de busca ativa, uma vez que a equipe gestora e os professores sempre estão em contato com os alunos para que todos participem e realizem suas tarefas e avaliações. Portanto, a ação pensada foi complementar, para motivar a participação de todos: foi realizada a escolha do “aluno destaque” de cada sala e, durante o conselho de classe, aconteceu o sorteio de uma linda caneca personalizada.

Educadora com as unhas pintadas de rosa segura caneca de porcelana. De um lado, a caneca tem estampa de um boneco vestido de azul, segurando uma placa escrito “Planejar o futuro”. Do outro lado, ilustrações de mãos erguidas e texto “E.E. Sebastião de Castro. Grêmio estudantil, 2021”. Fim da descrição.
Fotos: Gislaine Kamer Bento. Fonte: Arquivo pessoal.

Com a pandemia, todas as reuniões foram realizadas virtualmente. Uma delas foi o 1º Encontro Regional do Grêmio Estudantil da Diretoria de Ensino de Mogi das Cruzes, com a participação do aluno Lucas e da professora Fabiana.

Nesse encontro, reuniram-se estudantes, educadores e gestores das escolas estaduais da região do Alto Tietê. Professoras e professores responsáveis pelo Grêmio do Núcleo Pedagógico iniciaram a reunião falando sobre Ética e Cidadania e sua importância para uma gestão democrática. Foi enfatizado o papel dos colegiados dentro e fora da escola (Grêmio, Associação de Pais e Mestres e Conselho de Escola), sobretudo na articulação com o núcleo gestor, que abrange a gestão financeira, administrativa e pedagógica das unidades educacionais.

 

Saiba mais

+ Gestão democrática garante ambiente escolar inclusivo em escola de Manaus
+ Escola de Florianópolis aposta em trabalho colaborativo para garantir inclusão

O Grêmio na escola

O Grêmio Estudantil da E.E. Professor Sebastião de Castro sempre foi bastante atuante e hoje podemos dizer que temos uma chapa representativa e inclusiva, para que a escola consiga fazer reflexões.

Ter a participação de estudantes com e sem deficiência é um avanço para todos que participam dos colegiados da gestão escolar, professores e estudantes. Assim, estamos aprendendo muito, todos os dias. É isso que uma escola precisa: diversidade, representatividade, escuta e tomadas de decisões assertivas.

Desse modo, podemos dizer que o Grêmio Estudantil da nossa escola ainda tem um grande caminho pela frente, com muitas ações a serem desenvolvidas e conquistas para a diversidade e inclusão. O que temos construído em nossa escola é o que esperamos e almejamos para um futuro breve da sociedade brasileira.

Capturas de tela de reunião virtual com as educadoras Camila, Fabiana, Gislaine e Ive, e os estudantes Nicolas e Lucas. Fim da descrição.
Fotos: Gislaine Kamer Bento. Fonte: Arquivo pessoal.
Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: