O IRM utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos portais, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Educação inclusiva marca ensino remoto em Caruaru

Município implantou diversas estratégias para educação a distância, com conteúdo acessível e suporte para todos os estudantes da rede

Por Luan Brito

Após mais de um ano longe das escolas, estudantes da rede municipal de Caruaru, em Pernambuco, retornaram às aulas presenciais de forma gradativa em 16 de agosto. Apesar da pandemia da Covid-19 não ter acabado, essa foi uma etapa muito comemorada por todos depois de um longo período de isolamento social.

Nesse período, os desafios enfrentados pelo município da região Agreste do estado não foram diferentes do restante do país: escolas foram fechadas e o ensino foi obrigatoriamente realizado de forma remota.

Diversas estratégias foram implementadas para que todas as alunas e todos os alunos da rede tivessem acesso à educação de qualidade em casa. Entre elas, está o suporte psicológico para educadores, estudantes e familiares e o ensino por diversos canais de comunicação, tais como canal de TV, site e material impresso.

Além das estratégias, o trabalho para uma educação inclusiva, que já vinha sendo feito antes da pandemia, ajudou a manter a aprendizagem de estudantes público-alvo da educação especial em casa.

Estratégias para o ensino remoto

No início da pandemia, em março de 2020, as aulas presenciais foram suspensas em Caruaru. Para atender os 43 mil estudantes matriculados na rede municipal, a Secretaria de Educação e Esportes (Seduc) realizou parcerias com algumas instituições e criou o “Aula em Casa”, programa com conteúdos pedagógicos para serem utilizados no processo de ensino-aprendizagem das turmas da educação infantil, ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Por conta de muitos estudantes não terem acesso à internet ou a recursos tecnológicos, os conteúdos foram disponibilizados em diferentes plataformas.

Em sala de aula, carteiras de estudantes vazias com distanciamento uma das outra. Fim da descrição.
Fonte: Secretaria de Educação e Esportes de Caruaru

A parceria com a Câmara de Vereadores da cidade permitiu a transmissão de aulas e desenhos educativos do Aula em Casa por meio do canal aberto da TV Câmara, de forma simultânea com o canal oficial do programa no YouTube. As aulas são transmitidas de segunda a sexta-feira, por cerca de três horas e contam com tradução em Libras.

Ainda dentro do programa de educação a distância, foram disponibilizadas apostilas visando reforçar o ensino e auxiliar na realização das atividades escolares. A secretaria desenvolveu o material na versão digital e impressa, atendendo estudantes com e sem acesso à internet. Ao todo, foram produzidas 15 diferentes apostilas, uma para cada ano.

De acordo com Fátima Siqueira, secretária Executiva de Ensino, as estratégias foram desenvolvidas com muita atenção: “Tudo o que planejamos e vivenciamos em 2020 e 2021, nesse contexto de pandemia, foi organizado com um olhar minucioso e atencioso, para levar o melhor para todos os estudantes que compõem a nossa rede.”

O secretário de educação de Caruaru, João Paulo Derocy Cêpa, destaca o trabalho desempenhado pelos profissionais e a adesão ao ensino remoto: “Durante toda a pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Educação e Esportes preservou o que há de mais importante: a vida. Adaptamos os planejamentos pedagógicos e apoiamos diretores, professores e profissionais da educação para viabilizarem o ensino remoto. Tivemos uma taxa de adesão às aulas remotas de 80%, o que é um ótimo indicativo″.

Saiba mais

+ Para aulas remotas, educadoras criam material acessível de ciências

Capacitação aos educadores

Logo no início do ensino remoto, os educadores da rede municipal participaram de uma formação sobre o uso das ferramentas do Google. Segundo a secretaria, foram 40 horas de capacitação. O objetivo foi “apresentar ferramentas e recursos do Google for Education, que podem ser utilizadas no processo de ensino-aprendizagem, visando torná-lo mais dinâmico e atrativo para estudantes, professores e gestores”.

Fátima Siqueira destaca que as educadoras e os educadores participaram de mais formações durante a pandemia: “Todos os professores da nossa rede foram orientados e participaram de formações para também acompanhar todo o material disponibilizado no Aula em Casa. Os materiais desenvolvidos no programa tiveram a participação dos educadores”.

Educação inclusiva em todos os momentos

O município de Caruaru vem trabalhando há alguns anos para promover a inclusão escolar de estudantes público-alvo da educação especial. De acordo com o portal da Secretaria de Educação, muitas ações foram realizadas antes mesmo da pandemia: requalificação das Salas de Recursos Multifuncionais; ampliação do quadro de profissionais do Atendimento Educacional Especializado (AEE) e intérpretes de Libras; entrega de livros com acessibilidade; e formação com temas relacionados à educação inclusiva.

Em tempos de ensino remoto, o cuidado com a inclusão permaneceu. Além dos materiais produzidos com acessibilidade, as famílias dos estudantes com deficiência receberam um caderno de orientações quanto à rotina durante o isolamento social.

“Essa rotina é trabalhada dentro do dia a dia do programa de cada nível de ensino. É uma questão para a criança, com e sem deficiência, e a família irem se organizando, trabalhando o tempo. Também colocamos no site como forma dos familiares não se esquecerem a importância dessa organização”, explicou a gerente da Educação Infantil da Secretaria de Educação, Dalvani Porto Pastor.

O acompanhamento por parte de profissionais da educação especial foi realizado por meio da plataforma Aula em Casa, dando suporte às mães, aos pais, demais cuidadores e estudantes a fim de garantir o ensino mesmo à distância.

Leia mais

+ Educadores relatam práticas inclusivas em rede municipal
+ O ensino híbrido no cenário da educação especial inclusiva

Suporte psicossocial a todos os envolvidos

A Coordenadoria Psicossocial e Educacional de Caruaru também atuou durante o período de isolamento. O departamento ofertou e realizou atendimentos psicológicos aos educadores, estudantes e familiares que fazem parte da rede municipal.

Para os educadores, o suporte aconteceu de forma on-line, com atendimentos que levam cerca de 30 minutos. Já para familiares e estudantes, o suporte psicossocial ocorreu presencialmente nas escolas, respeitando o distanciamento e os protocolos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

De volta à escola

O tão esperado retorno às aulas presenciais ocorreu quase um ano e meio após o início do isolamento social. Seguindo todos os protocolos sanitários, a secretaria montou o plano de retomada, dividido em três fases, para que ocorra gradualmente nas 140 escolas municipais.

Parte externa da escola Cristina Tavares com pintura em verde e branco e uma faixa escrito “Bem-vindos à escola Cristina Tavares”. Fim da descrição.
Fonte: Secretaria de Educação e Esportes de Caruaru

A primeira fase teve início em 16 de agosto com abertura de 100 escolas do ensino fundamental. Os integrantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da educação infantil também já retornaram nas fases 2 e 3 do plano.

Mesmo com o plano de retomada, a presença em sala não é obrigatória: “Para as crianças adolescentes que optarem pelo não retorno, eles continuarão recebendo as aulas de forma remota, por meio do Aula em Casa”, disse João Paulo, Secretário de Educação. Ele lembra que a importância da escola não é só pedagógica, mas também social.

“Trazer os alunos de volta para as salas de aula é trazer a possibilidade de interação e desenvolvimento social, sendo aspectos importantes para a saúde mental das crianças e adolescentes. Voltar às aulas é retomar um pouco da normalidade que a pandemia nos tirou”, afirma.

Leia também

+ Especialistas e intérpretes explicam a importância da língua de sinais
+ Escola pública do Piauí apoia inclusão escolar no ensino médio

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: