O IRM utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos portais, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A matrícula não se subordina ao perfil do aluno

A legislação brasileira tem assegurado a crianças e adolescentes com deficiência o direito à educação em escolas comuns. A Lei Brasileira de Inclusão, por exemplo, prevê multa para quem impedir o acesso desse público ao sistema educacional.

Contudo, mais do que avançarmos em garantia de direitos, é preciso construir uma cultura de respeito às diferenças. É papel de toda a sociedade assumir a responsabilidade e pressionar pela inclusão. O desafio não é somente jurídico ou criminal, é cultural!


Este artigo completo foi publicado no ECOA | Por um mundo melhor, site do portal UOL, em 19/02/2021, e está disponível para leitura em https://bit.ly/3uQ09cT.

Rodrigo Hübner Mendes escreve semanalmente sobre inclusão em sua coluna do ECOA, site do portal UOL de jornalismo propositivo, que tem como objetivo apresentar pessoas que se dedicam a construir um mundo melhor.

Rodrigo Hübner Mendes tem dedicado sua vida para garantir que toda pessoa com deficiência tenha acesso a educação de qualidade na escola comum. É professor e pesquisador sobre educação inclusiva, membro da rede de empreendedores sociais Ashoka e do Young Global Leaders (Fórum Econômico Mundial). Há 25 anos fundou o Instituto Rodrigo Mendes, que desenvolve pesquisas, consultoria e programas de formação em diversas partes do mundo.

©️ Instituto Rodrigo Mendes. Licença Creative Commons BY-NC-ND 2.5. A cópia, distribuição e transmissão dessa obra são livres, sob as seguintes condições: você deve creditar a obra ao seu autor, sendo licenciada pelo Instituto Rodrigo Mendes e DIVERSA.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: