Trilha dos seres vivos

A Trilha dos seres vivos é um jogo de tabuleiro idealizado para trabalhar temas ligados à biodiversidade e à ecologia. O material pedagógico é composto por uma estrutura produzida em MDF; casas com números em braile, feito com miçangas, e em algarismos com relevo em EVA; um dado digital com recursos visual e sonoro; peões com cores e formatos diferentes; e cartas de apoio com informações do conteúdo do jogo.

Para jogar, o participante aciona o dado e anda o número de casas correspondente. Em 10 casas da trilha, há caixinhas abaixo do nível do tabuleiro, contendo miniaturas de diferentes animais (mamíferos, répteis, aves, anfíbios, insetos, entre outros).  Caso pare em uma casa com caixinha, o jogador deverá responder a uma pergunta relacionada ao tema da casa selecionada.

Em seguida, o jogador abre a caixinha para ver se sua resposta está correta. Respondendo corretamente, o estudante joga novamente; errando, passa a vez. Ganha o jogo o estudante que chegar primeiro no final da trilha.

Considerando o objetivo das aulas de Ciências, o grupo responsável pela construção do material optou por customizar a parte superior do tabuleiro com fotografias de diversos tipos de vegetação. Os animais de cada um dos ambientes ficam “escondidos” nas caixas localizadas abaixo do tabuleiro.

Articulação com a Base nacional comum curricular

As aulas planejadas pelos professores com esse material envolveram o conteúdo curricular da área de Ciências e o trabalho baseado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). A meta 15 estabelece proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade.

Vale a pena destacar que o material pode ser utilizado de acordo com o conteúdo a ser trabalhado, permitindo variadas formas de uso. Para tanto, a trilha permite a customização da parte superior, possibilitando também que as caixas possam abrigar diferentes miniaturas e objetos.

Considerando o relato de experiência dos educadores da EMEF Desembargador Teodomiro Toledo Piza e e possibilidades de uso em outras escolas, a Trilha dos seres vivos pode ser usada como estratégia pedagógica para os seguintes objetivos de aprendizagem da Base nacional comum curricular (BNCC):

Ciências – 2º ano do ensino fundamental

UNIDADE TEMÁTICA Vida e evolução
OBJETO DE CONHECIMENTO Seres vivos no ambiente

Plantas

HABILIDADE (EF02CI04) Descrever características de plantas e animais (tamanho, forma, cor, fase da vida, local onde se desenvolvem etc.) que fazem parte de seu cotidiano e relacioná-las ao ambiente em que eles vivem.

Ciências – 3º ano do ensino fundamental

UNIDADE TEMÁTICA Vida e evolução
OBJETO DE CONHECIMENTO Características e desenvolvimento dos animais
HABILIDADE (EF03CI04) Identificar características sobre o modo de vida (o que comem, como se reproduzem, como se deslocam etc.) dos animais mais comuns no ambiente próximo.

 

(EF03CI05) Descrever e comunicar as alterações que ocorrem desde o nascimento em animais de diferentes meios terrestres ou aquáticos, inclusive o homem.

 

(EF03CI06) Comparar alguns animais e organizar grupos com base em características externas comuns (presença de penas, pelos, escamas, bico, garras, antenas, patas etc.).

Atributos do Desenho universal para a aprendizagem

O Trilha dos Seres Vivos foi confeccionada utilizando o conceito Desenho universal para a aprendizagem e utiliza diversos recursos para minimizar as barreiras a participação autônoma de todos os alunos, com ou sem deficiência.

Para tanto esse material conta com miniaturas em 3D, grafia em braile e dado visual e sonoro; apresenta as informações utilizando múltiplas formas; engaja os estudantes; e aproxima o componente curricular acionando conhecimentos prévios.

  • ● Apresentação: a trilha conta com diferentes vias de aprendizagem como visual (cenário e miniatura) tátil (miniaturas, braile e numerais em relevo) e sonora (dado sonoro, permitindo várias associações e ampliação das possibilidades de percepção).

  • ● Interação e expressão:
    o material é manipulado de forma autônoma pelos alunos, estimulando a participação de forma lúdica e prazerosa para todos.

  • ● Motivação e engajamento:
    a utilização do material associado as estratégias planejadas permitiram a participação de todos de maneira colaborativa, viabilizando o envolvimento, o aumento da interação e o acesso de cada um ao currículo.
Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: