Educação física à distância: um exemplo vindo do Ceará

Tenho acompanhado relatos muito ricos sobre alternativas para a educação, em condições muitas vezes limitantes, impostas pela pandemia. Como ficam, por exemplo, as aulas de educação física, disciplina que, tradicionalmente, demanda a presença corporal? O professor André Cyrino, que dá aulas de educação física para estudantes do ensino médio em uma escola estadual de Fortaleza (CE), teve de enfrentar esse desafio.

André escolheu ferramentas disponíveis nos telefones celulares mais básicos, visando maximizar o acesso às suas aulas, e ainda criou o blog “Educação Física Sem Vergonha”. “O termo é literalmente o que parece ser: uma tentativa de educação física escolar que não precisa ter vergonha de ser educação física”, explica ele.


Este artigo completo foi publicado no ECOA | Por um mundo melhor, site do portal UOL, em 13/11/2020, e está disponível para leitura em https://bit.ly/38XoC7T.

Rodrigo Hübner Mendes escreve semanalmente sobre inclusão em sua coluna do ECOA, site do portal UOL de jornalismo propositivo, que tem como objetivo apresentar pessoas que se dedicam a construir um mundo melhor.

Rodrigo Hübner Mendes tem dedicado sua vida para garantir que toda pessoa com deficiência tenha acesso a educação de qualidade na escola comum. É professor e pesquisador sobre educação inclusiva, membro da rede de empreendedores sociais Ashoka Site externo e do Young Global Leaders Site externo (Fórum Econômico Mundial). Há 25 anos fundou o Instituto Rodrigo Mendes Site externo, que desenvolve pesquisas, consultoria e programas de formação em diversas partes do mundo.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: