Participação significativa e performance exitosa para todos os estudantes

Por muitos anos, não havia uma única escola em toda a cidade de Boston, Massachusetts (localizada na região nordeste dos Estados Unidos) onde estudantes com deficiências significativas ou de desenvolvimento pudessem estudar em conjunto com seus pares sem deficiência. Os pais se organizaram e tenazmente influenciaram os líderes da cidade até que esses votaram por começar a inclusão na Escola Elementar O’Hearn, em setembro de 1989 (a escola O’Hearn foi renomeada para Escola de Inclusão Henderson em 2009). Pela contínua pressão dos pais e suporte da comunidade, a Henderson agora expandiu-se para atender até 900 estudantes em dois prédios, da educação infantil até o 12º ano. Os estudantes vêm de contextos étnicos e linguísticos diversificados. Aproximadamente 33% tem deficiências leves, moderadas ou significantes com impactos na aprendizagem.

Apesar de estarmos comprometidos com a inclusão, a equipe não tinha certeza, inicialmente, do que iríamos fazer exatamente. A equipe trabalhou duro com imenso apoio e visão dos pais, universidades, comércio local e da comunidade, para descobrir como desenvolver uma escola de sucesso onde crianças com e sem deficiência poderiam aprender e ter êxito. Através dos anos, identificamos e implementamos uma ampla variedade de programas, materiais e tecnologias. Basicamente, utilizaremos qualquer coisa que seja humana, legalizada e funcione para ajudar estudantes a participar e prosperar.

Tendo estudantes com uma gama extensa de habilidades em cada classe, nos forçou a fazer mudanças que, em última instância, tornou a escola melhor para todos. Tivemos que modificar a cultura escolar, acolhendo e apoiando todos os estudantes, desenvolvendo em seus pontos fortes e os desafiando para trabalhar nos níveis mais altos possíveis. Tivemos que modificar os enunciados, personalizando a aprendizagem de acordo com as habilidades e necessidades dos estudantes e usando o design universal com artes e tecnologia. Tivemos que mudar nossa colaboração formando equipes de forma efetiva e resolvendo problemas conjuntamente, para ajudar a todos os estudantes a se tornar comprometidos e se desenvolver.

A Escola de Inclusão Henderson provou ser uma das mais bem-sucedidas de Boston. As notas dos estudantes em avaliações estaduais e nacionais que medem o desempenho em padrões rigorosos têm sido relativamente altas. A escola é popular entre as famílias de estudantes com e sem deficiência (a cidade de Boston permite que os pais escolham entre aproximadamente 10 escolas na vizinhança). O envolvimento das famílias é forte, a arte e a criatividade florescem.

Quando começamos a inclusão, alguns predisseram que teríamos que abaixar os padrões e diminuir o nível de ensino para o dos alunos abaixo da média. Ao contrário, uma boa inclusão é sobre aumentar o ensino, ajudando e desafiando todos os estudantes a participar e desempenhar nos maiores padrões possíveis. Ainda que nem todo estudante na Escola Henderson atinja o nível que os pais e a equipe tenham desejado, e ainda que alguns estudantes com deficiência tenham ido para programas segregados substancialmente mais tradicionais, a maior parte dos alunos, com e sem deficiência, permaneceram e progrediram significativamente na Escola de Inclusão Henderson.

A inclusão é um trabalho duro, mas que também pode ser recompensador e muito divertido. Juntos somos melhores.

Saiba mais sobre experiência educacional inclusiva da escola norte-americana Willian Henderson:

 

Dr. William Henderson foi diretor da Escola de Inclusão Henderson de 1989 a 2009. Ele continua a defender a inclusão em universidades e conferências.

©Instituto Rodrigo Mendes. Licença Creative Commons BY-NC-ND 2.5. A cópia, distribuição e transmissão dessa obra são livres, sob as seguintes condições: Você deve creditar a obra como de autoria de William Henderson e licenciada pelo Instituto Rodrigo Mendes e DIVERSA.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: