Uma iniciativa Instituto Rodrigo Mendes

O que é Desenho Universal para a Aprendizagem?

Qual a diferença entre Desenho Universal e Tecnologia Assistiva?

As Tecnologias Assistivas (TAs) atuam como um importante complemento ao Desenho Universal. Enquanto o Desenho Universal tem como objetivo oferecer uma solução abrangente, que atenda a todos, a TA visa criar uma solução específica para atender as particularidades de um indivíduo. 

Os exemplos abaixo podem facilitar a compreensão desses conceitos: 

Desenho Universal 

  • Edifício com rampas e elevadores
  • Página web que segue padrões de acessibilidade

Tecnologia Assistiva 

  • Cadeira de rodas customizada
  • Software de leitura de páginas web para pessoas com deficiência visual
O que é Desenho Universal?

O conceito do Desenho Universal surgiu a partir da constatação de que os recursos de acessibilidade destinados a reduzir ou eliminar barreiras no ambiente não beneficiam somente as pessoas com deficiência. Por exemplo: uma rampa não facilita somente a locomoção de uma pessoa que usa cadeira de rodas, mas também pessoas que transportam um bebê no carrinho ou com mobilidade reduzida. 

O Desenho Universal prevê que produtos, espaços, meios de comunicação, tecnologias e serviços sejam concebidos de modo a garantir sua utilização pelo maior número de pessoas possível, independentemente de suas características. Um projeto orientado pelo Desenho Universal considera a diversidade humana, buscando garantir a acessibilidade para todos. Como, por exemplo: tesouras desenhadas para destros e canhotos; maçanetas do tipo alavanca, que são de fácil utilização para todos os tipos de pessoas, podendo ser acionadas até com os cotovelos; torneiras com sensor, que minimizam o esforço das mãos para acioná-las, entre muitos outros. 

O que é Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA)? 

Além de orientar a concepção e desenvolvimento de espaços físicos e artefatos, o Desenho Universal também se aplica à educação por meio do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA). 

O DUA é um conceito que aponta para a necessidade de criar objetivos educacionais, métodos, materiais e avaliações que funcionem com todos – não como uma solução única, do tipo um-tamanho-serve-a-todos, mas sim como uma abordagem mais flexível, que pode ser personalizada e ajustada para as necessidades individuais. 

O DUA pode auxiliar os educadores a desenvolver ou optar por estratégias pedagógicas que possibilitem que todos os estudantes, independentemente de suas características e formas de aprendizagem, aprendam em igualdade de condições. 

O QUE É E COMO O DUA PODE FAVORECER TODO E CADA ESTUDANTE? 

Como o Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA) pode ser aplicado ao currículo?

A finalidade do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA) é desenvolver práticas pedagógicas que permitam o acesso ao currículo, a participação e o pleno desenvolvimento do potencial de todos os alunos, indiscriminadamente. O DUA se baseia em um conjunto de princípios que fomenta a elaboração de um planejamento pedagógico que contemple estratégias diversas para: 

  • Apresentar as informações, de modo que todos compreendam;
  • Envolver os estudantes, suscitando seu interesse e motivando-os a participar das atividades;
  • Avaliar cada um dos alunos, possibilitando múltiplas formas de expressar o que aprenderam.

Para tanto, o primeiro passo é buscar conhecer bem os estudantes, individual e coletivamente para, então, definir os conteúdos e estabelecer os objetivos de aprendizagem da área do conhecimento a ser trabalhada. É o currículo flexível. Trata-se da convergência entre a base curricular comum e a realidade dos estudantes presentes em sala de aula: suas características sociais, culturais e individuais – o que inclui seus interesses. 

Leia também: 

+ Eixos de interesse: pontes para o aprendizado e o desenvolvimento de todos os alunos 

Não se trata, no entanto, de um currículo customizado para cada aluno. Considerando que um dos pressupostos do DUA é ter altas expectativas para todos os estudantes, inclusive aqueles com alguma deficiência, não faria sentido restringir o acesso ao conhecimento para alguns. Por isso, a perspectiva inclusiva prevê um currículo único para o grupo como um todo. 

É importante esclarecer que o Desenho Universal para a Aprendizagem indica não somente a possibilidade, mas a necessidade de haver variações no modo como o currículo será acessado por cada um dos alunos, ou seja, a diversificação das estratégias pedagógicas de acordo com as características e os estilos de aprendizagem individuais. 

VOCÊ SABE QUAL A DIFERENÇA ENTRE ADAPTAÇÃO E FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR? 

O que são materiais pedagógicos acessíveis?

Material pedagógico é todo e qualquer recurso utilizado em sala de aula com uma finalidade específica de ensino e aprendizagem. 

A educação inclusiva prevê o uso de diferentes materiais pedagógicos para alcançar um mesmo objetivo de ensino. Nesse caso, a referência para a escolha ou desenvolvimento de atividades deve ser o próprio estudante, suas necessidades (baseadas em características físicas, sensoriais ou outras), seus interesses e habilidades, visando sempre a equiparação de oportunidades. 

COMO GARANTIR A ACESSIBILIDADE DOS MATERIAIS PEDAGÓGICOS? 

O que é currículo?

O currículo corresponde ao conjunto de conteúdos que devem ser abordados pelos educadores em cada nível de ensino. Um currículo fundamentado na perspectiva inclusiva precisa estar alinhado com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e, ao mesmo tempo, dialogar com as particularidades sociais, culturais, regionais e os diferentes modos de aprender de cada estudante. 

Não se trata de adaptar o conteúdo curricular a fim de reduzi-lo para alguns alunos, mas, sim, de flexibilizá-lo para que todos se reconheçam nele e sejam protagonistas do próprio processo educacional. 

VOCÊ SABE QUAL A DIFERENÇA ENTRE ADAPTAÇÃO E FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR? 

Faça parte da nossa comunidade