Educadores contam como usaram cultura afro-brasileira para incluir alunos com deficiência

Duas alunas seguram as bonecas que confeccionaram. Elas estão diante de uma mesa repleta de retalhos de tecidos.
Estudantes seguram bonecas de pano confeccionadas em projeto de cultura afro-brasileira de escola de ensino fundamental.
Novembro é o mês da consciência negra. Para celebrar a data, o DIVERSA apresenta três experiências de educadores que desenvolveram atividades de valorização da cultura afro-brasileira com estudantes com e sem deficiência em suas escolas. Inspire-se com estas práticas!

Tour cultural amplia diálogos sobre igualdade e direitos civis
Professores organizam visita de alunos a monumentos históricos de Cuiabá (MT) para aprofundar reflexões sobre inclusão social e igualdade.

Turma faz estudo de cultura afro-brasileira em português e em Libras
Professores de escola pública de São Paulo se unem para formular atividades em português e Libras em projeto interdisciplinar de cultura afro-brasileira.

Capoeira resgata autoestima de alunos excluídos da educação física
Escola de Fortaleza cria capoeira inclusiva com movimentos simples onde o que importa é acompanhar a música e entrar na roda.

Confira outras práticas de cultura afro-brasileira para todos.

Você também tem boas histórias como essas para contar? Compartilhe com outros profissionais da educação o que você tem feito em sua escola para incluir estudantes com deficiência, transtorno do espectro autista (TEA) ou altas habilidades/superdotação. Acesse o DIVERSA e envie um relato de sua experiência.

Aproveite também para esclarecer dúvidas, responder perguntas e trocar ideias sobre educação inclusiva com a Comunidade DIVERSA. Basta se cadastrar para começar a interagir!

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: