Fátima Regina Cardoso Domingues

O relato descrito a seguir refere-se a um projeto desenvolvido na EMEIEF Maria das Dores Chagas situada na Rua José Silveira em Mogeiro no Estado da Paraíba. Atendemos uma clientela de 420 educandos, tendo apenas 8 com deficiência diagnosticada.

Os professores da escola, engajados no projeto, sentiram a necessidade de ampliar os conhecimentos e tornarem-se multiplicadores em relação à educação inclusiva. Diante disto, decidiram montar grupos de estudo juntamente com todos que fazem parte da escola (porteiros, professores, merendeiras, auxiliares, secretário e gestor). Uma boa parte dos profissionais da escola não tinham nenhum conhecimento sobre educação inclusiva, vendo este fato como uma barreira, criamos para todos da escola um projeto onde fizéssemos formação continuada para que os mesmos pudessem trabalhar com alunos com deficiência. Sendo assim, foram formados grupos de estudo, trabalhos em grupo, relatórios individuais das experiências, apresentação de vídeos, visita à sala de AEE de outra escola e uma palestra com uma profissional especializada em educação inclusiva onde a mesma abordou o tema: O desafio das diferenças. Tema este, que no dia seguinte foi debatido entre os profissionais e muito comentado.

Todos os profissionais da escola estavam motivados com esse projeto, participavam ativamente de todos os encontros, realizavam as atividades propostas e faziam vários questionamentos, o envolvimento da equipe foi positivo por se tratar de um tema que nos chama atenção, pois a qualquer momento podemos estar diante de tal situação e não sabermos como agir.

Esse projeto veio para abrir as portas da escola Maria das Dores Chagas para crianças com deficiência, apesar de antes já sabermos que temos que incluir a todos, mesmo assim, não tínhamos nada que nos orientasse e nos mostrasse o que deveríamos fazer. Hoje podemos dizer que vemos estas crianças com um olhar diferenciado, pois, sabemos agora, que cada uma delas tem algo muito especial dentro de si e mesmo com suas limitações todas podem aprender e são capazes de vencer desafios e barreiras ainda existentes nas escolas e enfim, em toda nossa sociedade.

 

Participante do Monitoramento de projetos em educação inclusiva – 2013

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: