Professora usa painel feito de caixas de margarina para alfabetizar crianças surdas e ouvintes

Patrícia era minha aluna em uma turma de 1º ano do ensino fundamental na escola municipal Dr. Deoclécio Dias Machado Filho, no município de Mesquita (RJ). Ela tinha deficiência auditiva e estava aprendendo a Língua brasileira de sinais (Libras) na sala de aula comum, junto com seus colegas ouvintes. Durante esse processo de alfabetização, trabalhei com um material pedagógico acessível que promove a construção de palavras por meio da seleção e encaixe de peças, o Painel interativo.

O recurso é feito com uma caixa retangular de papelão, na qual são encaixados seis potes de margarina. Na tampa desses recipientes são colados adesivos com figuras de animais, letras, sílabas, sinais em Libras etc. Durante as atividades com o material, primeiro, as crianças identificavam a imagem indicada. Depois, elas deveriam formar a palavra correspondente em língua portuguesa escrita e apontar o respectivo gesto na língua de sinais. A cada tampa encaixada no pote na sequência correta, uma luz acendia dentro do painel. Ao final, todas ficavam iluminadas.

 

Escrita e associações com o painel

A dinâmica foi muito interessante. Trabalhamos muito a questão da escrita, do visual, das associações da figura à palavra e ao sinal em Libras. A aluna com deficiência auditiva não se prendeu muito à questão da escrita e conseguiu associar muito bem as imagens aos gestos. Posso dizer que essa experiência serviu de estímulo para Patrícia sinalizar.

Os outros estudantes focaram na formação das palavras. Aqueles que tinham mais dificuldade para escrever perceberam que uma só letra não forma uma sílaba. Por exemplo, para formar o “sa”, de sapo, muitos tentaram colocar nas tampas somente o “s” ou o “a”. Mas, nesses casos, o painel não acendia. As crianças começaram, dessa forma, a se questionarem sobre por que aquela estrutura não estava correta. Isso fez com que elas avançassem nas hipóteses. Durante o uso do painel, os alunos tiveram que pensar, analisar, ver qual era a estratégia do jogo, o que deviam modificar para acertar etc.

Veja como o Painel interativo foi usado na escola Dr. Deoclécio Dias Machado Filho, em Mesquita (RJ):

 

Simplicidade e tecnologia

O que achei mais interessante no Painel interativo foi a simplicidade das peças. Potes de margarina são materiais fáceis de conseguir e baratos. Além disso, os estudantes adoraram o recurso por ser uma novidade lúdica que permitiu criar um jogo em que todos puderam participar.

No trabalho em sala de aula, o uso de tecnologia é essencial. Cabe a nós, professores, fazermos certas adequações de acordo com nossa realidade e necessidade. Com materiais diferentes, como o Painel interativo, as aulas ficam mais prazerosas e dinâmicas. As crianças saem da rotina e isso desperta nelas a vontade de aprender.

A atividade chamou bastante a atenção. Todos ficaram muito eufóricos e curiosos sobre como o material pedagógico foi feito. Outro ponto positivo é o fato do painel permitir o uso de forma colaborativa por alunos ouvintes e surdos. Patrícia fez a atividade com todos os colegas. Tudo funcionou no coletivo.

Saiba como construir o Painel interativo.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: