Material que reproduz movimentos da mão diverte alunos em aulas de ciências

Sou professora do atendimento educacional especializado (AEE) na Escola Municipal Anton Dworsak, localizada em Duque de Caxias (RJ). Um dos nossos principais desafios é oferecer os conteúdos de uma forma atrativa e acessível para as crianças. Outra dificuldade é produzir recursos que apoiem e qualifiquem essa aprendizagem com o pouco material que temos disponível. Nesse sentido, planejei o uso de um material pedagógico chamado Mão articulada. O recurso é composto por uma mão de papelão cujos dedos abrem e fecham com acionamento de um sistema hidráulico de cinco linhas e duas seringas.

Este vídeo conta com legendas em português (ativadas na barra do player).

O material foi utilizado com uma turma do 3º ano do ensino fundamental, que conta com 17 alunos, incluindo um estudante com autismo. A experiência foi realizada em colaboração com a docente regular da classe, Jupira Rosa Maia. Depois que a Mão articulada foi aplicada na sala de aula, utilizamos também na sala de recursos multifuncionais (SRM).

O uso da Mão articulada em sala de aula

O material foi trabalhado junto com o livro com conteúdo sobre o corpo humano, depois que discutimos sobre músculos e ossos. Com o recurso, trabalhamos conteúdos de ciências e língua portuguesa. A experiência também foi fundamental para trabalharmos os componentes sociais, tais como saber esperar e compartilhar. Foi muito legal para o Igor, nosso estudante com autismo, que no geral tem uma grande dificuldade de interagir.

+ Saiba como construir a Mão articulada

Os alunos adoraram entender como uma mão funciona a partir da manipulação do material. O ganho não foi só do aluno com autismo, mas de todos. O mesmo material pode ser usado por todos igualmente. As crianças se divertiram e fizeram uma ponte com conhecimentos de suas vidas. Um garoto contou uma história sobre um familiar que teve um problema na mão e disse: “Ah! Então é assim que a gente é por dentro!”.

O material é muito prático de ser usado e a partir dessa experiência estou planejando montar um mini laboratório de ciências na escola.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: