Como um adulto com deficiência pode começar a estudar?

Bom dia. Tenho 33 anos, moro em Valença, no interior da Bahia. Sou deficiente e não pude estudar no passado por problemas de saúde, mas agora estou recuperado e quero muito estudar. Tantos cursos oferecidos pelo governo, mas não posso me inscrever por não ter histórico escolar.

Eu já procurei as secretarias de educação e ação social da gestão passada, mas elas não me ajudaram. Na Secretaria de Educação, o rapaz anotou meu nome e o número do celular para entrar em contato comigo, mas nunca ligou. A secretaria de ação social mandou duas mulheres aqui em casa, elas conversaram comigo, me perguntaram qual curso eu queria, eu falei, ela anotou na agenda e nunca mas entrou em contato comigo!

Será que vocês podem me ajudar? Eu não quero ficar o tempo todo dentro de casa não, é horrível!

Educação de jovens e adultos (EJA)

1 resposta

Por Raquel Paganelli Antun em 28/02/2018

Olá Valmar!

Seja muitíssimo bem-vindo à nossa comunidade!

É possível, sim, compensar os anos em que você não pôde estudar e até mesmo a falta de um “histórico escolar” através da educação de jovens e adultos, a EJA. Segundo a LDB, a EJA é uma modalidade de ensino que perpassa todos os níveis da educação básica e é destinada a jovens e adultos que não deram continuidade a seus estudos e para aqueles que não tiveram acesso ao ensino fundamental e/ou médio na idade apropriada. Trata-se de um direito de todos jovens e adultos, inclusive os com deficiência. A Convenção da ONU, aprovada por meio de emenda constitucional, garante a qualquer pessoa com deficiência o direito à educação e assegura sistema educacional inclusivo em todos os níveis, bem como o aprendizado ao longo de toda a vida.

Além de ser um direito seu, a educação na idade adulta tem a função social de promover a emancipação, a inclusão na sociedade, atribuindo aos estudantes o papel de sujeitos ativos no processo de construção de conhecimentos, exercendo sua cidadania. Assim, sugerimos que você procure a secretaria de educação de seu município ou estado a fim de identificar a unidade de EJA mais próxima de sua residência para matricular-se o mais rapidamente possível, aproveitando, inclusive, que ainda estamos no início do ano letivo.

É importante que você saiba que recusar a matrícula ou até mesmo dificultar o acesso de estudantes com deficiência à escola comum é crime. Ainda assim, acreditamos que a busca pelo estabelecimento de parcerias seja, na maioria dos casos, mais efetiva que o confronto. Às vezes, dialogar com a instituição, ajudando-a a entender que a inclusão é um direito e não uma concessão, é suficiente. Mas, se você perceber que não é, sugerimos que entre em contato com a área de educação inclusiva da Secretaria de Educação do município ou estado e, oportunamente, o Ministério público (MP). O MP pode ser acionado pessoalmente, em uma de suas unidades físicas, como também pelo site.

Há outras perguntas no fórum do DIVERSA sobre a inclusão de pessoas com deficiência no contexto educacional. Sugerimos que leia as respostas desta pergunta “Como um jovem de 22 anos com Síndrome Down pode voltar à escola?” especificamente. Acreditamos que possam ajuda-lo a exigir seus direitos.

Conte-nos mais sobre isso e continue participando da comunidade.

Esta resposta te ajudou?
Conhece alguém que pode responder? Compartilhe um link para a pergunta.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: