Como lidar com os diferentes tempos de aprendizagem dos alunos?

Quando dizemos que o processo de aprendizagem de cada pessoa é singular, que as necessidades educacionais e o desenvolvimento de cada estudante são únicos, isso também diz respeito ao tempo de aprendizagem. Esperar que todos os alunos de um mesmo grupo realizem uma determinada atividade ou aprendam determinados conteúdos num mesmo período de tempo corresponde à lógica da homogeneização e gera, inevitavelmente, exclusão. A educação inclusiva parte do pressuposto de que a diferença é uma característica humana.

Assim, os diferentes tempos de aprendizagem devem ser não somente respeitados bem como considerados no planejamento pedagógico. Ou seja, planejar na perspectiva inclusiva implica prever estratégias pedagógicas diversificadas também em relação ao tempo, considerando o ritmo de cada um. Diversificando também os modos de interação, proporcionando oportunidades de realizar atividades individualmente, em dupla e em grupos – cujos critérios de formação também devem ser diversificados. E flexibilizando a rotina, a partir de um planejamento que muda constantemente.