Alfabetização e educação bilíngue: inclusão de estudantes com deficiência auditiva

Um grupo de crianças com uniformes escolares faz sinais com as mãos durante aula de Libras.
Aprender uma língua de sinais traz benefícios para estudantes com ou sem deficiência auditiva.

Hoje, 8 de setembro, é Dia da Alfabetização, e nos próximos dias 26 e 30 serão celebrados os dias nacional e internacional dos surdos. Para comemorar as datas, o DIVERSA preparou uma seleção de reflexões e experiências que abordem a inclusão de estudantes com deficiência auditiva e a educação bilíngue.

Você sabe quais são os benefícios da aprendizagem de línguas de sinais para todos?
Lino de Macedo, membro da Academia Paulista de Psicologia, docente e pesquisador na área de Psicologia do Desenvovimento aplicada à aprendizagem escolar, explora os benefícios da aprendizagem da língua de sinais para qualquer estudante.

Alfabetização em Libras amplia vocabulário de crianças ouvintes
Se crianças aprendem inglês, francês e alemão, por que não uma língua de sinais? Motivada por esse pensamento, a educadora Maria Cristina Iglesias decidiu ensinar Libras para seus alunos ouvintes.

Espanhol escrito como segunda língua para alfabetização de surdos
Mónica Baez, da Argentina, conta experiência com uso da língua espanhola escrita como segunda língua na alfabetização de jovens surdos. O que podemos aprender com o exemplo do país vizinho?

Música mobiliza alunos surdos e ouvintes
Explorando os toques e vibrações dos instrumentos, escola da Grande São Paulo amplia repertório musical de estudantes surdos e ouvintes. Quem conta essa história é a professora Eliane Guimarães.

Conheça outras práticas de educação bilíngue!

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: